30/07/2014

O que os ventos trazem

Por Aline Diedrich

“Naquele instante, confesso, abandonei todas as vontades e algumas verdades que acumulei ao longo do tempo. Em velocidade, contra o vento, o velho conversível me levava para além de todas as expectativas. O blues embalava e inibia, continuamente, o meu corpo. E os trejeitos, mais do que pelos raios intensos do sol, estavam sob o efeito do sorriso debochado e de um olhar petulante. Tirei os óculos em ato de admiração. 

http://weheartit.com/entry/122529850/search?context_type=search&context_user=doingtherightthing&query=old+car+girl+boy
No banco de trás, garrafas e garrafas de luas passadas. Os mais insanos me diriam pula, porém, ironicamente, eu lia poesias, por momento escondidas atrás do humor ácido e por uma expressão maliciosa, mas de repente assustada pelo meu jeito agridoce. A música, por fim, se confundiu com uma voz rouca e eloquente.

Meus cabelos bagunçados não balançavam mais. O carro parado na estrada deserta, perante um azul límpido do céu de julho. Tive impulsos que provocaram histórias futuras e no melhor estilo rocking and rolling, ele veio até mim. Seria infinitamente da mesma forma, como promessa vã, para me resgatar do preto e do silêncio mórbido da noite e me apresentar às cores de fogo de cada amanhecer...”

De súbito, o vento sacudiu as janelas e me despertou das minhas memórias brandas. Agora, os ventos não trazem mais aquelas intermináveis frases censuráveis, mas tenho as cartas suas que são como anestesias para as dores causadas por um rio vermelho, simbólico, que existe lá fora. Os ventos, então, fazem redemoinhos de folhas também mortas e, por vezes, dão esperanças de retornos próximos. 

© Licença Creative Commons

Este texto é sequência de:

20 comentários:

  1. Aline, achei interessante o estilo Simbolista em prosa.

    :)
    Marcos

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto. Me senti exatamente como tal sua personagem quando estou perto do meu garoto as dores do mundo se tornam pequenas...
    r.: Obrigada!!Necessito de uma dose de sorte. ;)

    p.s:você já pensou em escrever um livro?

    ResponderExcluir
  3. Aguardando os ventos me trazerem algo parecido com algumas partes que li aqui.
    Belo texto Aline! Ah, adorei a observação no final. =)

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito :)
    R: Sim, é preciso autocontrole ahaha ^^
    Beijinhos*

    ResponderExcluir
  5. Gostei tanto... Uma ideia muito bonita.
    Beijinho *

    ResponderExcluir
  6. r.: suas imagens também são mto bonitas. agora que percebi que ja escrevestes alguns livros. espero um dia poder comprar.

    ResponderExcluir
  7. Seus textos sempre me fazem viajar. Isso é ótimo!

    ResponderExcluir
  8. Bem legal o texto, Aline! Parabéns!
    Seguindo.
    Bjs, Lu - http://resenhasdalu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Ótimo texto! É possível viajar com cada cena...

    ResponderExcluir
  10. Você escreve bem, consegue encontrar a palavra certa para colocar no local certo de uma frase. Gostei, bjo!

    ResponderExcluir
  11. que os ventos mudem e tragam todo esse esplendor de suas linhas psicodélicas!!!

    ResponderExcluir
  12. Ficou muito boa a sequência.
    A foto ficou muito legal.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Boa noite, Aline. Achei o texto interessante e concluiu muito bem prendendo a atenção do leitor.
    Acredito que temos de tomar cuidado com certos ventos, vez em quando somos tão embalados por eles que nem percebemos a força que tem e os estragos que podem fazer.
    Que busquemos as brisas que nos acariciam.
    Tudo de bom.
    Excelente semana de paz.
    Beijos na alma.

    ResponderExcluir
  14. parece até que fui transportada para décadas passadas. o tom vintage do texto ficou muito bom. e o espírito libertino(?) da personagem condiz com a época. eu gostei. casou direitinho com a imagem, por sinal. ||Emilie Escreve||

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Aline!
    Uma alegria vir agradecer seu carinho em meu blog e me deparar com uma escritora tão talentosa.
    Seja sempre muito bem vinda! ♡
    Espero nos vermos mais vezes! ♡
    Feliz Semana! ♡
    Bjokas da Bia! ♡

    ResponderExcluir
  16. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita.
    Ficarei radiante se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais, saiba que sempre retribuo seguido também o seu blog. Minhas saudações.
    António Batalha.

    ResponderExcluir
  17. Mas e que tal pensar (e re-fle-tir) no pensamento de uma presidenta incompetente e de mau gosto fabuloso? [a «Pátria Educadora»]

    Que tal PENSAR na ALMA BARANGA de uma presidenta?? rss.
    Não seria esse um bom motivo, -- também?

    Uma presidentA de mau gosto. Bregona? Baranga mesmo. Kitsch.

    Reflita & pense!

    "Barangos (as) Unidos Jamais serão Vencidos"

    Maria BARANGA Gadu rss;
    Otto -- o Bobão; "produtores" culturais; outros barangos; bregas; cafonas mil; todo tipo de mau gosto eternamente chamados de """artistas""" [rsrs], do PT barangões, amantes do petismo: agorinha no "Largo da Batata".

    Divulgadores da baixa-cultura; cultura de massas, e lixo musical. Amantes da deusa dilma Iolanda Janeta Pasadena Rousseff -- a brega Coração Valente© [a Baranga de BH]: nesse momento cá no Largo da 🥔 Batata, em Sampa.

    Os ditos "artistas" Kitsch. Ruins que dói. Todos a favor de Lula o-chefão-vigarista, da eleição-picareta-direta.

    ResponderExcluir